Home » Fonoaudiologia » Gagueira

Gagueira

Orientação aos pais sobre disfluências comuns e gagueira


Quando falamos, é comum que apresentemos algumas rupturas no fluxo da fala, as quais damos os nomes de difluências. Elas acontecem, pois precisamos pensar nas palavras que vamos utilizar ou reformular palavras ou frases já ditas, buscando uma melhor compreensão do que falamos por parte do nosso ouvinte.
A criança quando está aprendendo a falar, formular frases, contar histórias, entre outras atividades comunicativas, pode apresentar essas disfluências que são características deste período de aquisição de linguagem. Por exemplo, tem dúvida na escolha da palavras ou no uso correto da gramática ou precisam organizar seu pensamento.
Porém, temos que observar, principalmente quais são os tipos de disfluências apresentadas pelas crianças, sua idade, o período de duração dessas disfluências, o sexo da criança e recorrência familial do distúrbio. Consideramos maior risco para a gagueira crianças com mais de 7 anos, do sexo masculino, que apresentam disfluências gagas e muitas vezes com movimentos associados com o corpo, e que ocorrem em um período superior a 12 meses.
As disfluências consideradas comuns são hesitação, interjeição, revisão, palavras não terminadas e repetição de frases.
As disfluências mistas são quando ocorre uma ou duas repetições de sons, ou sílabas ou palavras, se esporadicamente e sem fatores qualitativos associados.
As disfluências consideradas gagas são os bloqueios, prolongamentos, pausas (mais de três segundos) e três ou mais repetições de sons e/ou sílabas e/ou palavras.
Para ajudar a criança a diminuir estas quebras na fala podemos seguir as seguintes orientações:

• Deixe a criança falar livremente, escute com paciência o que ela tem a dizer. Mostre que você esta prestando atenção no que ela está falando, e não no modo como está falando.
• Use uma velocidade de fala mais lenta, pausando a fala sempre que necessário e fale de forma mais suave.
• Não interrompa a fala da criança, pois assim elas perderá a sequência do pensamento.
• Use palavras simples e frases curtas.
• Faça uma pergunta por vez.
• Não complete palavras ou frases por ela. Deixe-a falar livremente.
• Quando for fazer perguntas, faça uma por vez e que exijam respostas curtas.
• Mantenha contato visual natural mesmo durante as disfluências.

Se continuar com dúvidas ou essas disfluências persistirem, procure a avaliação de um fonoaudiólogo.