Home » Psicologia » Síndrome de Down

Síndrome de Down

A Psicologia e a Síndrome de Down

A Psicologia atua em diversas áreas. Vamos abordar neste texto, alguns aspectos que a psicologia pode intervir  na Síndrome de Down,  tais como:

·         Orientações aos familiares;

·         Trabalho em equipe multidisciplinar;

·         Atendimento clínico;

            Inicialmente a Psicologia pode orientar os familiares antes do nascimento do bebê , quando os pais descobrem a Síndrome logo na gestação, dando acolhimento para a família que poderá estar apreensiva e com muitas dúvidas, além de intervir através de informações específicas.

            O trabalho do Psicólogo também poderá ser realizado assim que o bebê nasce, auxiliando e acompanhando a família no momento da notícia .

 Receber esta notícia é um momento crucial e muito importante para os pais e ou familiares, pois esta é a hora onde eles podem vivenciar sentimentos difíceis de lidar tais como negação ,culpa , medo, perda do filho ideal para o filho real, fazendo com que estes sintam-se fragilizados perante ao novo.

Sendo assim, a família precisa de orientações e informações embasadas e sensatas para irem adaptando-se gradativamente a esta nova fase de suas vidas. Neste momento, o psicólogo deve estar informado a respeito da Síndrome, esclarecendo as dúvidas dos pais associadas ao desenvolvimento da criança, fazendo os encaminhamentos necessários, orientando também sobre rede de apoios existentes na comunidade, as quais possam direcioná-las em suas necessidades  .

Após este momento inicial, os pais são orientados a buscar atendimentos especializados aos filhos sendo estes, realizados com profissionais de diversas áreas, tais como: fonoaudiologia ,fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional e neurologia.

Neste trabalho multidisciplinar torna-se  interessante que exista constantemente trocas entre os profissionais das áreas envolvidas, a fim de que integrem suas intervenções adquirindo uma maior amplitude de informações a respeito do seu desenvolvimento auxiliando desta forma,  no processo de avaliação e no planejamento de suas atividades.

O profissional também deve levar em consideração a importância do diálogo com os pais e ou familiares facilitando uma relação de confiança e vínculo entre eles.

Outra forma de atuação da Psicologia,  é através de atendimento clínico para a própria pessoa com Síndrome de Down ou para os seus familiares. Vale ressaltar, que não existe uma abordagem única e específica para atender este público, pois se deve levar em consideração a individualidade e particularidade de cada indivíduo associadas ao seu desenvolvimento.

Portanto o Psicólogo, no atendimento direto com a pessoa com Síndrome de down, deve identificar e respeitar o potencial de cada indivíduo, conscientizando-o de suas capacidades, tendo o cuidado de não subestimar ou de superestimar mas sim, fortalecê-lo para enfrentar possíveis dificuldades ou obstáculos.

Finalizando, a Síndrome de Down não é uma doença , é uma alteração genética também conhecida como Trissomia do 21, justamente porque ao invés dos 23 pares de cromossomos, no par 21 existem três cromossomos.

Pode ocorrer com qualquer pessoa independente de raça ou idade, acontecendo em média 1 caso a cada 800 nascimentos.Os principais efeitos são a hipotonia,o comprometimento intelectual e o fenótipo. Ao contrário do que se pensava anteriormente, não existem níveis de Síndrome de Down, o que acontece é que as pessoas têm desenvolvimento diferenciado e é comum acontecerem associações com déficit de atenção, distúrbios de conduta entre outros, o que faz com que algumas pessoas atinjam um nível maior de desenvolvimento e autonomia.