Home » Psicologia » TDAH

TDAH

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE

 

O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH)  é caracterizada por:desatenção, hiperatividade e impulsividade causando prejuízos a si mesmo e aos outros em pelo menos dois contextos diferentes (geralmente em casa e na escola/trabalho). Assim, ao longo do desenvolvimento, o TDAH está associado com um risco aumentado de:

  •  Mau desempenho escolar,
  •  Repetências, expulsões e suspensões escolares,
  • Relações difíceis com familiares e colegas,
  • Desenvolvimento de ansiedade, depressão,
  • Baixa auto-estima, problemas de conduta e delinqüência,
  • Experimentação e abuso precoces de drogas,
  •  Acidentes de carro e multas por excesso de velocidade,
  • Assim como dificuldades de relacionamento na vida adulta, no casamento e no trabalho.
  • Sub- tipos do TDAH:

 1-Desatenção:A característica fundamental do déficit de atenção é a falta de constância em atividades que exigem atenção. O que evidencia a desatenção é a dificuldade de se ligar em detalhes, errar por descuido em atividades escolares, não manter a atenção em jogos e brincadeiras.

 Sintomas mais comuns:

  • Não segue instruções e não termina seus deveres escolares, tarefas domésticas ou deveres profissionais, não chegando ao final das tarefas;
  • Dificuldade na organização de suas tarefas e atividades;
  •  Evita, antipatiza ou reluta em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante (como tarefas escolares ou deveres de casa);
  • Distraí-se por estímulos alheios à tarefa principal que está executando;

2-Hiperatividade:Correr, escalar, falar em excesso e em situações inapropriadas, balançar mãos e pés continuamente são características da hiperatividade.

Sintomas mais comuns:

  • Abandona sua cadeira em sala de aula ou em outras situações nas quais se espera que permaneça sentado;
  • Apresenta dificuldade para brincar ou se envolver silenciosamente em atividades de lazer;

3-Impulsividade:A característica da impulsividade são as respostas dadas antes que a pergunta seja completada.

   Sintomas mais comuns:

  • Dificuldade para aguardar sua vez;
  • Interrompe ou se mete em assuntos de outros (por exemplo, intrometendo-se em conversas ou brincadeiras de colegas).
  • Fala em demasia.

Diagnóstico:

  • O diagnóstico deve ser feito por um profissional de saúde capacitado, geralmente neurologista, pediatra ou psiquiatra. O diagnóstico pode ser auxiliado por alguns testes psicológicos ou neuropsicológicos, para o acompanhamento adequado do tratamento.

Tratamento:

  • O tratamento geralmente envolve o uso de medicações.
  • È fundamental o acompanhamento da criança, de sua família e de seus professores por profissionais especializados, pois é preciso auxílio para que a criança possa reestruturar seu ambiente, reduzindo sua ansiedade.
  • Ajudar os pais a reconhecerem que a permissividade não é útil para a criança, mas que baseado em terapias comportamentais, o desenvolvimento da criança pode ser adaptado.